Atrativos da Capital

Localização estratégica 

Brasília está localizada no centro do país, sendo portanto ponto estratégico para a distribuição de bens, mercadorias e produtos. Está ligada a todas as regiões brasileiras por meio de grandes estradas. Como ponto de convergência da aviação nacional, o Aeroporto Internacional de Brasília tem voos diretos para as principais localidades do país e sete voos internacionais diretos (um para a Europa, três para os Estados Unidos e três para América Latina). O terminal é o terceiro em movimentação de aeronaves e passageiros e o quarto em movimentação de cargas no Brasil. Cerca de quatrocentos voos diários embarcam e desembarcam mais de 15 milhões de passageiros por ano.

Renda e estabilidade econômica 

O mercado consumidor de Brasília está entre os mais aquecidos do país. A concentração dos altos salários de servidores públicos na região atrai investimentos e favorece o crescimento de empresas locais. Na capital do país, um a cada seis habitantes trabalha para o setor público. A média brasileira é de um servidor público a cada 23 habitantes. A administração pública produz 53,6% de toda a riqueza no DF e detém mais de 40% de todos os empregos formais. A estabilidade na carreira gera estabilidade finaceira, fatores responsáveis pelo dinamismo do setor de comércio e serviços da capital.

Ao todo, o comércio brasiliense contabiliza mais de 86 mil empresas. O mercado dá sinais de estar em franca expansão. O índice de desemprego no Distrito Federal no final de 2011 foi de 12,4%, segundo dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O percentual é o menor registrado há vinte anos, desde que a pesquisa começou a ser realizada.

Prova do crescimento: enquanto o desemprego cai, a população cresce. Em 10 anos, o DF teve avanço de 24,9% na população, mais que o dobro do aumento de 12,3% registrado pela população brasileira.

Brasiliense passa mais tempo na escola 

Assim como no resto do Brasil, a qualificação da mão de obra continua sendo um desafio na capital. Ainda assim, o DF é a única unidade da Federação em que mais da metade da população possui pelo menos 10 anos de educação formal.

Aproximadamente 25% da população concluiu o ensino médio, e quase 15% do total possui ensino superior.

Mas o futuro é promissor. Cerca de 91,7% dos adolescentes entre 15 e 17 anos estão na escola no Distrito Federal. Esse é o melhor percentual do país, a média nacional é de 85,2%.

O Distrito Federal é a unidade da Federação que mais investe na educação básica ao ano: mais de R$ 4,8 mil por aluno da rede pública.

O resultado dos investimentos na área educacional já começa a ser visto nas avaliações que medem os conhecimentos dos estudantes. No Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), aplicado em 2009, os alunos do DF tiveram a melhor média entre 20 mil estudantes de todo o país.

Proximidade com instituições gera facilidades

Como sede dos Poderes máximos da República, Brasília concentra as principais instituições, autarquias e órgãos públicos – algo que facilita a vida do empreendedor na hora de resolver trâmites legais e burocráticos, não raramente necessários aos investimentos. Apraticidadedeternamesma cidade todas as instâncias de poder – regional e nacional – é apontada como fator degrande relevância porempresários.

Brasília atrai ainda grande número de visitantes semanais, que vêm à capital em missão política e de negócios, sendo uma das cidades que mais movimentam o turismo de negócios no país.

Diversidade cultural gera diversidade de oportunidades 

Por ser uma cidade nova, sede do Poder Federal, Brasília é composta por uma população multicultural e diversa. Para a capital, veio e vem todos os anos gente de todo o país. Isso confere à cidade uma enorme diversidade cultural, expressa no lazer, na cultura e na vida social do brasiliense. Há espaço para todos os gostos.

Para se ter ideia da heterogeneidade da população, no primeiro Censo Nacional que incluiu Brasília, em 1970, os nascidos na capital eram 22,2% da população. O índice foi aumentando com o decorrer dos anos: 31,9%, em 1980; 41,5%, em 1991; e 46,8%, em 2000. Mais recentemente, em 2008, a Pesquisa Nacional de Amostragem de Domicílio (Pnad) apontou que apenas 48,9% da população era formada por nativos. Entres os que estão na faixa dos 50 anos de idade, estima-se que Brasília tenha somente metade da população nascida em solo brasiliense. Toda essa diversidade de gostos e costumes abre espaço para diferentes iniciativas e investimentos.

Palco de grandes eventos 

A capital federal está no roteiro de grandes eventos. Desde mega-shows internacionais, que aos poucos passam a ter parada obrigatória em Brasília, até encontros políticos, sindicais e de negócios.

Em 2014, Brasília sediará a Copa do Munda da Fifa. O evento provocará grande impacto na economia, sobretudo por conta das grandes obras que estão sendo realizadas.

Em 2015, Brasília será uma das cidades-sede da Copa América de Futebol, aproveitando a estrutura remanescente da Copa da Mundo, com a criação de mais renda, emprego e oportunidades. A capital federal também foi confirmada como uma das cidades-sede para o torneio de futebol masculino e feminino das Olimpíadas de 2016.

Uma licitação internacional escolherá a empresa que fará a gestão do Estádio Nacional Mané Garrincha. A intenção é transformá-lo na melhor arena de shows da América Latina – Foto: Kazuo Okubo