Renda

Aposentados aquecem economia local 

Os mais de 270 mil aposentados do Distrito Federal movimentam, entre aposentadorias, 13º salário e outras rendas, mais de R$ 1 bilhão por mês e representam 23,6% do total de rendimentos da capital do país.

De acordo com a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios 2010 (Pdad), realizada pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), os inativos de Brasília possuem renda média de R$ 3.441,40, três vezes mais do que os salários pagos em outros estados. O valor ainda é o dobro da renda per capita geral do DF (R$ 1.503,00).

Os aposentados com alta renda concentram-se nas regiões mais nobres de Brasília, como os Lagos Norte (24,5%) e Sul (21%), as Asas Nortes e Sul (18,4%) e o Park Way (15,8%). O menor percentual de inativos do DF encontra-se na Estrutural, uma das localidades mais pobres do DF, com apenas 2,7% de aposentados.

Ainda em relação aos inativos, o Lago Norte está no topo da lista das rendas mensais totais das regiões administrativas, com 51,9%. A renda média dos aposentados no bairro passa de R$ 10 mil. O Park Way aparece em segundo lugar, com 40,7%, seguido do Lago Sul (33,5%) e das Asas Sul e Norte (29%). Em localidades mais pobres, como o Itapoã, o valor encontrado é de R$ 708,80.

Os números ilustram o potencial consumidor dos idosos no DF. O mercado, cada vez mais, deverá se adequar às necessidades de consumo dessa população. Nas próximas quatro décadas, o número de habitantes acima de 60 anos no Brasil deverá crescer a uma taxa de 3,2% ao ano, chegando a 65 milhões em 2050, ou 30% do contingente populacional. Hoje, essa proporção é de 10,8%. As projeções são de estudo do Banco Mundial e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010.

Enquanto, geralmente, os mais jovens tendem a pensar em fazer reservas financeiras para o futuro, quem chegou à aposentadoria tem mais liberdade para gastar, sobretudo com viagens e outros bens de consumo próprio. Muitas empresas já viram nesse segmento um nicho rentável e passaram a oferecer produtos e serviços.

Pacotes turísticos têm sido um dos principais destinos da renda dos aposentados. Dados divulgados pelo Ministério do Turismo em 2011 mostram que mais da metade dos brasileiros com idade acima de 60 anos viaja de uma a duas vezes por ano, e 18,9% embarcam mais de quatro vezes anualmente.

Por terem mais disponibilidade de tempo, esse público não precisa arcar com os elevados preços cobrados na alta temporada. O estudo mostra que 46% dos que integram a chamada terceira idade preferem viajar na baixa temporada. Mais de 75% se hospedam em hotéis ou pousadas durante as viagens.

O Nordeste é a região brasileira mais procurada, com 50,1% das preferências. Depois surgem o Sul (26,7%), o Norte (7,8%), o Sudeste (7,8%) e o Centro-Oeste (7,6%). Entre as cidades, Natal, capital do Rio Grande do Norte, é o destino predileto, à frente de Fortaleza (CE) e de Caldas Novas (GO).

As agências de viagem estão se adequando aos gostos dessa faixa da população. O levantamento do governo federal mostra que 22,7% dos idosos preferem contratar os serviços das empresas para organizar os passeios.

Programa Viaja Mais Melhor Idade 

O Ministério do Turismo lançou em 2007 uma iniciativa para facilitar e estimular os brasileiros com mais de 60 anos a viajarem pelo país. O programa Viaja Mais Melhor Idade oferece pacotes com preços promocionais para grupos com origens e destinos específicos, serviços diferenciados, ofertas de meios de hospedagem, além de profissionais treinados para receber esse público. Os turistas têm a opção de viajar de ônibus ou avião, saindo de Brasília ou de São Paulo.

O programa fortalece o turismo interno e movimenta a economia. De acordo com o balanço de 2010, nove operadoras de turismo trabalhavam no programa e 2 mil agências estavam cadastradas. A soma de pacotes vendidos, em três anos, chegou a 600 mil. As diárias médias ficaram cotadas em R$ 98,07 (solteiro) e R$ 114,56 (casal). O preço médio dos pacotes girou em torno de R$ 950.

Outra facilidade do programa é a parceria estabelecida com a Trip Linhas Aéreas. Passageiros com mais de 60 anos têm direito a 35% de desconto em passagens comercializadas pela empresa. Mais de setenta destinos brasileiros operados pela maior companhia de aviação regional da América Latina são oferecidos com tarifas especiais. O desconto vale para todas as épocas do ano – baixa, média ou alta temporada –, desde que não sejam em voos compartilhados com outras companhias aéreas.