Transportes

Expansões prevêm melhorias para o serviço público 

O transporte público coletivo no Distrito Federal emprega 10 mil profissionais e segue dois modelos distintos. Para o Tribunal de Contas do DF, o metrô tem mais qualidade nos serviços quando comparado aos ônibus e aos micro-ônibus.

Cerca de 1 milhão de pessoas utiliza os ônibus e os micro-ônibus para se locomover, de acordo com a Secretaria de Transportes do DF. A frota de quase 3 mil carros oficiais e aproximadamente mil excedentes abrangem toda a unidade da Federação.

Ao todo, 967 linhas perpassam as regiões administrativas. Segundo o Tribunal de Contas do DF, o transporte rodoviário é prestado por uma frota de ônibus envelhecida (idade média de três anos), com mais da metade dos veículos com idade superior à máxima para cada tipo de veículo.

Foto: Kazuo Okubo

Metrô 

Na avaliação do Tribunal de Contas do DF, o modelo sobre trilhos, com 31 trens e 1,2 mil funcionários, tem mais qualidade nos serviços prestados do que os ônibus e os micro-ônibus. O metrô utiliza 42,30 quilômetros de linhas para ligar Brasília às áreas mais populosas do DF (Guará, Águas Claras, Taguatinga, Samambaia e Ceilândia). Em média, segundo a assessoria do Metrô-DF, 160 mil pessoas passam diariamente pelas 24 estações.

O metrô ganhará mais 6,7 quilômetros de trilhos, de acordo com os projetos de expansão da empresa. Embora os locais das estações ainda não estejam delimitados, sabe-se que a expansão contemplará a Asa Norte — com 820 metros de trilhos subterrâneos e estação em frente ao Hospital Regional da Asa Norte (HRAN); Ceilândia — com mais 2,6 quilômetros de trilhos e duas estações na Via N3; e Samambaia — com mais 3 quilômetros de trilhos e outras duas estações.