Samambaia

O m2 de Samambaia valorizou 75% nos últimos dois anos

A área territorial de Samambaia fazia parte do Núcleo Rural de Taguatinga. A cidade, como muitas do Distrito Federal, nasceu a partir do grande fluxo de trabalhadores durante o processo de formação da capital do país. Em 25 de outubro de 1989, Samambaia tornou-se a 12ª Região Administrativa do DF.

A cidade é constituída de áreas urbana e rural. A urbana subdivide-se em 128 quadras residenciais (QRs), com 1.835 conjuntos e 38.815 lotes; 178 quadras comerciais e de serviços (QSs/QNs); duas quadras industriais (QIs); Setor de Mansões Sudoeste (SMSE), com 158 lotes; Área de Desenvolvimento Sul (ADS), com 21 conjuntos subdivididos em 496 lotes. Na área rural são desenvolvidas atividades agropecuárias, de lazer e turismo.

Os primeiros habitantes tinham de andar a pé até Taguatinga, porque não havia transporte público. O comércio confundia-se com as próprias residências de alguns moradores. Para atender às necessidades imediatas dos vizinhos, comercializavam quase tudo. As empresas começaram a se instalar na cidade quando a Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) liberou, em 1968, os primeiros lotes comerciais.

Hoje Samambaia tem aproximadamente 200 mil habitantes, sendo a quarta Região Administrativa mais populosa do Distrito Federal. A cidade tem cerca de 2,2 mil empresas e 21 mil trabalhadores no setor terciário. Segundo pesquisa da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), divulgada em 2011, a renda da população corresponde a R$ 2.093.

O governo está investindo na infraestrutura local para estimular a ocupação de áreas obsoletas por empresários com a finalidade de criar novos empregos. AADEtemlocalizaçãoprivilegiada, próxima às principais vias de acesso à cidade: a BR-060 (que liga Brasília a Goiânia), a Avenida Leste (que cruza a BR e segue até Taguatinga) e a Avenida Central (que divide a área em duas e faz a ligação da rodovia com o Centro Urbano de Samambaia).

A construção civil impulsiona mudanças significativas na economia de Samambaia. O mercado imobiliário está aquecido, e o valor do metro quadrado subiu cerca de 75% nos últimos dois anos. A área central está sendo, aos poucos, tomada por arranha-céus.

O boom imobiliário fez com que a cidade deixasse de ser um assentamento. Comércio e serviços foram se desenvolvendo e hoje estão maduros. A facilidade de deslocamento influenciou a atração de investimentos e novos moradores. Samambaia oferece estações metroviárias e boa estrutura urbanística. Via Engenharia, Tenda, MB Engenharia e Apex são exemplos de construtoras já instaladas em Samambaia.

O Complexo Esportivo de Samambaia ocupa uma grande área na quadra 301. É composto de um Estádio Regional de Futebol, com capacidade para 5 mil pessoas, uma quadra coberta, quadras de areais e uma área destinada à construção do ginásio poliesportivo.

Os movimentos culturais estão por toda parte. Fixos ou itinerantes, ajudam a integrar a comunidade e transferem para Samambaia características de vanguarda. A comunidade e os artistas mobilizam-se agora em favor do Complexo Cultural. Desde 2009 são promovidos os Saraus Complexos em favor da construção do espaço. O projeto é destaque no DF e chega à 33ª edição com o objetivo de formar um polo irradiador de atividades artísticasquefavoreçaainclusãosocial, alavancando a economia criativa e o turismo cultural.

O Complexo Cultural ocupará uma área de 14 mil m² no Centro Urbano da cidade. O aporte estimado é de R$ 5 milhões. O Conselho de Cultura de Samambaia aprovou o projeto arquitetônico, que contempla teatro, cinema/auditório, praça de alimentação, biblioteca, anfiteatro, salas de aula, estúdios de áudio e vídeo, jardim e estacionamentos. Equipamentos públicos desse porte impulsionam Samambaia a ocupar espaços no circuito artístico, cultural e turístico nacional.

Vista aérea da cidade (Foto: Augusto Areal)

Foi inaugurado este ano o Espaço Imaginário Cultural. Fundado pelos grupos Roupa de Ensaio e Fábrica de Teatro, o espaço promove apresentações artísticas e oficinas de linguagens como o teatro, ballet, street dance, violão, canto e artes plásticas. Entre as atividades programadas para o ano de 2012 destacam-se o Forró de Quinta, Café Imaginário e Imaginário Convida.

Outros pontos de cultura promovem oficinas gratuitas de teatro, música, artesanato e cultura popular. Entre eles destacam-se: Instituto Sociocultural Amigos do Bem, Sociedade dos Moradores e Amigos da Expansão de Samambaia.

No âmbito da educação, a cidade possui 38 escolas públicas, quarenta escolas particulares da pré-escola a faculdades. Além das escolas, há entidades que oferecem capacitação e qualificação profissional, como Senai, Fenações, Casa Azul, Brincando com o Verde, Santa Luzia e Beneficente Evangelista.

A Região Administrativa está localizada a 25 km da capital e conta com parques públicos preservados (Boca da Mata, Três Meninas e Gatumé) situados na Área de Relevante Interesse Ecológico Juscelino Kubitschek (Arie JK), localizada entre as regiões de Samambaia, Taguatinga e Ceilândia. O Parque Três Meninas guarda uma interessante história das três casinhas de bonecas que resgatam a lenda viva na memória das famílias que vieram para Samambaia nos anos 1980 e 1990. Este ano as casinhas de bonecas foram restauradas como monumento histórico de Samambaia em favor da visitação e do tombamento do Parque Três Meninas.

A estrutura urbana é constituída de duas Delegacias de Polícia: a 26ª DP e a 32ª DP; um Batalhão de Polícia Militar (11ª BPM); nove postos de segurança comunitária vinculados à 11ª BPM; a 12ª Companhia Regional de Incêndio; cinco postos de saúde; um hospital público; um hospital particular; uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA); um estádio de futebol; três campos sintéticos; 25 quadras de esporte; um Centro Olímpico e uma Vila Olímpica.

Administração Regional: 
QR 119/121, Área Especial 1
Samambaia Norte – Samambaia-DF, CEP: falta
Fones: (61) 3359-9300/3359-9301/3359-9302
Fax: (61) 3359-8969
E-mail: gabinete@samambaia.df.gov.br
Site: http://www.samambaia.df.gov.br/