Candangolândia

Candangolândia – o berço dos pioneiros ainda guarda monumentos

Conhecida como cidade-mãe, a Candangolândia surgiu como a terra dos pioneiros que trabalharam na construção de Brasília. A Região Administrativa conta atualmente com pouco mais de 20 mil habitantes e conserva até hoje casas de madeira.

O primeiro acampamento, construído em 1956, era formado pela sede da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), por um caixa-forte para garantir o pagamento dos operários, um posto de saúde, um hospital, um posto policial, dois restaurantes, uma escola para os filhos dos trabalhadores e as residências dos técnicos da empresa responsável pela obra.

O nome Candangolândia é derivado do termo pelo qual ficaram conhecidas as pessoas que vinham de vários lugares, principalmente do Nordeste, para construir Brasília. O berço dos pioneiros ainda guarda monumentos, como a primeira escola e a primeira igreja de Brasília, ambos intactos. A cidade é parte do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A Candangolândia está situada estrategicamente, muito próxima dos pontos mais importantes de Brasília e às margens da Estrada Parque Industrial e Abastecimento (Epia). O desafio do momento é conciliar a valorização dos imóveis com a preservação do patrimônio, como a proibição de construções acima de dois andares.

Candangolândia (Foto: Gracieth Sales)

Há 4.215 domicílios. Entre 2004 e 2011, a taxa média de crescimento anual foi de 2,5%, conforme a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD 2011) da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). A renda média da população é de R$ 4.035 mensais. A classe mais expressiva na Candangolândia é a que recebe entre dois e cinco salários mínimos (33,4%), seguida dos que ganham entre cinco e dez salários mínimos (29,3%). É significativo também o número de famílias que possuem renda mensal entre dez e vinte salários mínimos (16,5%) e acima de vinte salários mínimos (6,3%).

Um terço dos trabalhadores da região desenvolve suas atividades no comércio. Estima-se que existam trezentos pontos comerciais – cenário bem diferente do início da ocupação, quando o comércio era proibido e os moradores precisavam ir até a Cidade Livre (atual Núcleo Bandeirante) para fazer compras. Moradores da região buscam manter a tranquilidade do lugar sem abrir mão de melhorias trazidas pelo desenvolvimento do comércio. Grande parte do território abriga o Jardim Zoológico de Brasília.

A Praça do Bosque é o ponto de encontro dos descendentes dos primeiros moradores do DF, que hoje aproveitam a estrutura com quadra de esportes, churrasqueira, pista de skate e parque infantil.

A cultura tradicional é celebrada todo mês de julho na Praça dos Estados. O famoso “arraiá” da Candangolândia é promovido pelo tradicional bloco carnavalesco dos Raparigueiros, que, com vinte anos, atingiu a marca de 2.500 foliões filiados.

Outra tradição é a festa junina da Igreja São José. Apresentações de quadrilhas, comidas típicas e atrações culturais marcam o evento. Também em junho a cidade promove o “arraiá” candango. A festa de aniversário ocorre em novembro e conta com participações ilustres, como a da Escola de Samba Candangos do Bandeirante.

A comunidade ainda tem à disposição a Feira Livre e a Permanente, o Jardim Zoológico, o Museu da Companhia Militar da Polícia Florestal, uma biblioteca pública, cinco escolas públicas, um centro de saúde, um Batalhão da Polícia Militar (25ª BPM) e um posto de segurança comunitária, um ginásio de esportes, as Praças do Bosque e dos Estados e um salão comunitário.

Administração Regional: 
Rua dos Transportes, AE nº 1
Candangolândia-DF, CEP: 71725-000
Fones: (61) 3301-9342/3301-9308
Faxes: (61) 3301-9342/3301-9311
E-mail: admregional@candangolandia.df.gov.br
Site: www.candangolandia.df.gov.br