Park Way

Park Way abriga mansões e espaços para eventos 

O Setor de Mansões Park Way foi criado para ser uma região exclusivamente residencial. Atualmente a instalação de estabelecimentos comerciais divide a opinião das 45 mil pessoas que vivem na RA XXIV. A maioria da população do Park Way vive em condomínios fechados horizontais e em grande mansões. São 1.188 lotes com até oito casas construídas em cada um. Quem vive nesta área nobre do DF precisa percorrer, em média, 10 km para fazer compras. Não há padaria, mercado, banco, farmácia ou salão de beleza.

Os centros comerciais estão previstos no Memorial Descritivo do Park Way, documento registrado em cartório em 1961, que criou oficialmente o bairro. Os comércios ficariam entre as quadras 1 e 5, 6 e 13 e nas quadras 17, 22 e 26. Enquanto o projeto original não se concretiza, o comércio do Park Way restringe-se à região de Vargem Bonita, vizinha ao bairro.

O Park Way ganhou autonomia em 2003, antes pertencia à RA Núcleo Bandeirante. A Região Administrativa possui vasta área verde com córregos e nascentes em reservas ecológicas, entre elas as da Universidade de Brasília (UnB), da Aeronáutica, da Marinha e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Um dos principais pontos de acesso é a BR- 040. Uma linha ferroviária que liga o DF a Goiás, Minas Gerais e São Paulo também corta a RA. Como principais atividades culturais há a Casa Niemeyer, o Catetinho, o Recanto Unipaz, a Casa da Fazenda (Country Club), o Museu Vivo da Memória Candanga e o Espaço Recanto das Águas.

Completamente restaurado, o Catetinho, primeiro prédio do Distrito Federal sobre pilotis e a primeira morada do ex-presidente Juscelino Kubitschek, é uma atração à parte. Bem histórico de valor inestimável, o ponto turístico é parada obrigatória para visitantes e brasilienses.

Park Way (Foto: Divulgação)

O bairro ecológico reforça a cada dia entre seus habitantes a preocupação de preservar o meio ambiente e garantir condições sustentáveis de convívio entre a comunidade, a fauna e a flora locais.

O Park Way é símbolo da riqueza cultural do DF. O conjunto estatutário localizado na quadra 28 da Região Administrativa tornou-se Patrimônio Cultural do Distrito Federal por meio da Lei nº 4.759. No local, o artista Gil Marcelino expõe esculturas de tamanhos reais da fauna brasileira, como também apresenta aos visitantes a maior coleção mundial em madeira do romance de Miguel Cervantes Y Saavedra e Don Quixote de La Mancha.

Outros espaços de destaque do Park Way: Catetinho, Museu da Casa Velha da Fazenda do Gama, dentro do Country Club; Casa de Niemayer com a exposição das fotos do início de Brasília feitas por Marilda Porto, esposa de Edson Porto, primeiro médico de Brasília; grupo taiko RKMD, (tambores de dança japonesa) de Vargem Bonita.

Porabrigarbelascasaseexplêndidapaisagem, o Park Way é conhecido por ter grandes espaços para eventos. Mansões sediam festas particulares e corporativas, bemcomocerimoniaisdecasamento e festas de debutante. Lá também se encontra uma casa especializada em aniversários infantis.

A estrutura urbana é composta do Caic JuscelinoKubitschek, umabibliotecacomunitáriaem Vargem Bonita e um posto de segurança comunitária.

Administração Regional: 
AE, Avenida Contorno, lote 15
Núcleo Bandeirante-DF, CEP: 71705-535
Fones: (61) 3486-6800/3486-6818
Fax: (61) 3486-6821
E-mail: admregional@parkway.df.gov.br
Site: www.parkway.df.gov.br/